top of page

Divórcio e Autismo: O Peso Emocional Sobre as Mães


O aumento significativo do número de divórcios entre casais que têm filhos autistas é uma realidade complexa e multifacetada, que impacta não apenas a dinâmica familiar, mas também a sobrecarga emocional, especialmente para as mães envolvidas. A criação de um filho com autismo apresenta desafios únicos, que muitas vezes exacerbam as tensões existentes em um relacionamento.


A jornada de criar uma criança com autismo pode ser extenuante, demandando uma atenção constante e adaptabilidade por parte dos pais. O autismo frequentemente impõe mudanças na rotina diária, necessidades específicas de cuidado e uma compreensão aprofundada para atender às peculiaridades comportamentais da criança. Essas demandas podem sobrecarregar tanto emocional quanto fisicamente os pais, criando um ambiente que exige uma resiliência e apoio significativos.


A pressão adicional colocada sobre as mães muitas vezes resulta em uma sobrecarga emocional que se manifesta de diversas maneiras. A necessidade de equilibrar o cuidado do filho com autismo, o gerenciamento das responsabilidades diárias e a manutenção do relacionamento conjugal pode se tornar avassaladora. O estigma social em torno do autismo também pode contribuir para o isolamento, aumentando a carga emocional sobre a mãe.

É importante considerar que as expectativas sociais e familiares nem sempre são adaptadas à realidade das famílias com crianças autistas. A falta de compreensão por parte da sociedade pode adicionar pressão adicional sobre os pais, particularmente sobre as mães, que muitas vezes se veem confrontando o estigma, a incompreensão e o julgamento.


A dificuldade de acesso a recursos adequados, tanto em termos de intervenções terapêuticas para a criança quanto de suporte emocional para os pais, pode agravar ainda mais a situação. As mães podem se encontrar lutando para equilibrar a atenção aos desafios do autismo com as necessidades emocionais de seus relacionamentos, resultando em um aumento da tensão conjugal.


O divórcio, infelizmente, torna-se uma realidade para muitos casais que enfrentam essas complexidades. A falta de compreensão mútua, o aumento da sobrecarga emocional e as pressões externas podem contribuir para a deterioração do relacionamento. Em última análise, é crucial abordar não apenas os desafios práticos da criação de uma criança com autismo, mas também desenvolver uma rede de apoio emocional e prático para os pais, especialmente para as mães, a fim de mitigar a sobrecarga emocional e fortalecer os laços familiares.



16 visualizações
bottom of page